“DIA  DO  DIPLOMA”  2017

 

Ÿ PRÉMIOS DO QUADRO DE EXCELÊNCIA DO AGRUPAMENTO

Ÿ PRÉMIOS DE MÉRITO “MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA” - ALUNOS DO 12º ANO

Ÿ PRÉMIOS “ALUNO EXCELÊNCIA – CRÉDITO AGRÍCOLA”

Ÿ ENTREGA DE DIPLOMAS DO ENSINO SECUNDÁRIO

Segundo o MEC – Ministério da Educação e Ciência, o “DIA DO DIPLOMA” integra o calendário escolar de cada ano letivo, em todas as escolas e em data a definir por cada uma, e consiste numa ação formal de entrega de certificados e diplomas aos alunos que tenham concluído o ensino secundário no ano letivo anterior, quer no regime regular, quer no regime profissional.

No nosso Agrupamento foi decidida a data do passado dia 16 de dezembro para a realização deste evento de especial significado para os nossos ex-alunos do 12º ano e para aqueles que, pelo seu empenho e mérito escolares, mereceram ser reconhecidos e passaram a integrar o Quadro de Excelência do Agrupamento, de acordo com o artigo 137º do seu Regulamento Interno.

Na sequência de protocolo existente com o nosso Agrupamento de Escolas, a Caixa de Crédito Agrícola do Vale do Dão e Alto Vouga também reconheceu e procedeu à entrega de um prémio pecuniário aos alunos que concluíram o ensino básico (2º e 3º ciclos) e o ensino secundário, quer regular, quer profissional, com melhor aproveitamento.

Os quadros de excelência são organizados por ciclos de escolaridade no 1º, 2º e 3º ciclos e por anos de escolaridade no ensino secundário.

O artigo 137º do Regulamento Interno estipula que são reconhecidos os alunos que revelem excelentes resultados escolares, sendo os Critérios de Reconhecimento os que a seguir se transcrevem:

  1. No final do 1º CEB, obtenção da classificação de Muito Bom a Português, Matemática e Estudo do Meio e, pelo menos, Bom às outras áreas;
  2. No final do 2º e 3º CEB, obtenção de nível 5 a todas as disciplinas, ou nível 4 a uma e nível 5 às restantes;
  3. Em cada ano do ensino secundário, obtenção de média superior a 17 valores.

A Sessão Solene do referido dia 16 decorreu no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários de Penalva do Castelo, à tarde, no final do 1º período escolar e num sábado, precisamente para permitir a participação de todos os ex-alunos do 12º ano.

A moldura humana que participou no evento era constituída pelos alunos reconhecidos e diplomados, alguns pais e outros familiares de alunos, especialmente dos premiados. De realçar o elevado número (15, sendo 9 de Ciências e Tecnologias e 6 de Línguas e Humanidades) de alunos do ex-12º ano que obteve média superior a 17 valores, situação que nunca havia ocorrido com tal expressividade.

A Mesa de Honra da Sessão foi presidida pela Diretora do Agrupamento, Dra. Rosa Figueiredo, que teve a companhia do Representante do Presidente do Conselho Geral do nosso Agrupamento, Professor José Ribeiro, do Presidente da Associação de Pais / Enc. de Educação, sr. Anselmo Sales, do Presidente da Câmara Municipal, sr. Francisco Carvalho, e da Direção do Crédito Agrícola do Vale do Dão e Alto Vouga, sr. Luís Albuquerque.

A todos os alunos reconhecidos e premiados, apresentamos as nossas felicitações e os votos para que continuem a trilhar um percurso de sucesso.

 

 

     Prémio do Quadro de Excelência

             do Agrupamento 2017*

                              1º CEB

ESCOLA

ALUNO

 

 

EBI de Ínsua

Letícia Albuquerque Rocha

Pedro Miguel M. Magalhães

Tomás Cardoso Cabral

Flávio Baptista Figueiredo

Maurício Martins P. Rodrigues

 

EB1 de Castelo

Matilde Pires Carvalho

Francisco Costa Ferreira

Pedro Gabriel R. Ribeiro

EB1 de Roriz

Leonor de Sousa Macário

                                      

2º CEB                             

Ano de escola.

ALUNO

 

 

Filipe Dias Santos Martins

Marta Lopes de Figueiredo

Petra Vaz Melo

Lara Chaves Pais

António Pedro Alves Pais

Eva Carolina Laires Matos

Tiago da Silva Ferreira Santos

Márcia Rafaela Lopes do Adro

 

3º CEB

Ano de escola.

ALUNO

 

João de Campos A Fernandes

Mara Filipa Henriques Almeida

Henrique Araújo S. L. Martins

 

          SECUNDÁRIO

Ano de escola.

ALUNO

10º

------------------------------------- a)

 

 

11º

Carolina Rafaela M. Alexandre

Ana Raquel S. Melo

Ana Rita Figueiredo Almeida

Isabel Maria Sales Ribeiro

Sara Raquel Santos

 

Inês Morais Costa

 

Dário Alexandre Matos

 

Tiago Almeida Cruz

 

Mónica Catarina Luís Ferreira

 

Ana Mara Alves Pais

 

Alexandre Antunes Rodrigues

 

Raquel Vitória Rodrigues

 

Beatriz de Jesus Oliveira Faro

12º

Ana Margarida Rocha Augusto

 

Luís Pedro Almeida L. Cabral

 

Jéssica Margarida S. Rodrigues

 

Sandra Filipa Ferreira Pombo

 

Sérgio José Saraiva Gonçalves

 

Ana Rita Campos Lopes

 

Maria Gomes Martins

  1. Nenhum aluno reuniu os requisitos definidos

* alunos com melhor aproveitamento no final de cada ciclo do ensino básico (1º, 2º e 3º CEB) e por ano de escolaridade do ensino secundário, de acordo com artigo 137º do RI do AEPC

 

Prémio “Aluno Excelência

      Crédito Agrícola” **

CICLO

ALUNO E TURMA

2º CEB

Filipe Dias Santos Martins, 6ºC

3º CEB

João de Campos Almeida Fernandes, 9ºC

SECUNDÁRIO Regular

Inês Morais Costa, 12ºA

SECUNDÁRIO Profissional

Ana Filipa Costa, 12ºC

** o aluno com o melhor aproveitamento no final de cada  ciclo (2º e 3º CEB e ensino secundário regular e profissional)

 

   PRÉMIO DE MÉRITO “MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA” ***

CURSO

ALUNO

Científico-humanístico de

Ciências e Tecnologias

Inês Morais Costa

Profissional de Técnico de Produção Agrária – variante Vegetal

Ana Filipa Costa

*** o aluno com melhor aproveitamento em cada oferta formativa do ensino secundário (final do ciclo dos cursos científico-humanísticos e dos cursos profissionais)

 

A Direção do Agrupamento

 

ALUNO PENALVENSE ENTRE OS MELHORES CALOIROS DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

 

Excelência dá bolsa igual ao valor das propinas a 94 dos 2000 novos estudantes da Universidade de Aveiro. Um dos melhores caloiros da UA é o “nosso” Dário Matos, que frequenta a licenciatura com mestrado integrado de Engenharia de Computadores e Telemática.

           

Desde o ano letivo passado e de forma a “atrair mais e melhores alunos excecionais”, a UA premeia os caloiros que ingressem, como 1ª opção, num dos seus cursos com média igual ou superior a 17,5, com Bolsa de Mérito Académico (bolsa de estudo equivalente ao valor das propinas, que pode continuar a ser atribuída ao estudante, até ao final do curso, se mantiver ou melhorar a média de 17,5 ou superior).

            No âmbito da Abertura do presente Ano Letivo, decorreu, no passado dia 4 de outubro, a Sessão Solene que reconheceu o mérito dos melhores caloiros da UA e fez a entrega da referida bolsa a cada um, sessão em que compareceram, a convite da UA, os Diretores dos agrupamentos / escolas com ensino secundário que formaram os caloiros, entre os quais a nossa Diretora, professora Rosa Figueiredo.

 

            O PENA JOVEM colocou algumas questões ao Dário, que se seguem.

- Porquê a UA?

- Depois de ter refletido durante meses, escolhi a UA porque considerei ser a melhor opção após ter em conta uma grande variedade de fatores. Inicialmente sempre pensei ir estudar para a FEUP – Faculdade de Engenharia do Porto. No que toca ao prestígio na área das Tecnologias, sabia que a UA era praticamente equivalente. Conhecia vários alunos e ex-alunos do curso que frequento e todos me aconselharam a “segui-lo”. Posto isto, e sabendo que se estudasse em Aveiro estaria num ambiente mais familiar e iria conviver com amigos que também escolheram a UA, tomei a mesma decisão. O futuro é incerto, e, da mesma forma que a minha opção mudou nos últimos meses, pode voltar a mudar nos próximos anos. Contudo, estou a gostar imenso e tenho intenção de permanecer e aproveitar ao máximo!

- Que expetativas tens em relação ao curso?

- Após ter falado já com vários jovens que frequentam ou frequentaram o curso de Engenharia de Computadores e Telemática, posso dizer que espero que seja uma “aventura” até à sua conclusão. Espero sair bem preparado e com vasto conhecimento na área da Informática e da Telemática, primeiro porque gosto destes temas, mas também para que futuramente possa ser um bom profissional e tenha um leque de opções de trabalho mais alargado.

- Qual é o segredo para se atingir uma média de entrada tão elevada?

- Concorri ao curso com média de 18,8 valores. Esta média dependia, claro, da média do Ensino Secundário e dos exames específicos que o MIECT requeria. O segredo para alcançar este resultado foi, como costumo dizer, uma boa gestão do tempo e das atividades, curriculares e extracurriculares. É certo que “boas notas” só se conseguem com estudo e trabalho relacionado diretamente com a escola e a disciplina envolvida, e essa parte é fundamental. Todavia, a meu ver, esse fator é tão fundamental como o tempo “investido” em atividades fora da escola, quer sejam desportos, associações culturais, estudo da música, ou até o simples convívio com amigos fora do ambiente escolar. Tudo isto faz-nos crescer como pessoas, e, se o tempo for bem gerido de forma a conciliar todos estes fatores, conseguimos desenvolver os chamados soft skills, ter outra maturidade, o que condiciona a forma como abordamos as atividades escolares e nos desenvolve outro tipo de determinação e capacidade de foco nas avaliações.

- Profissionalmente, o que é que gostarias de fazer depois de terminar a formação académica?

- Depois de terminar o curso (tenho tempo!), tenciono trabalhar na área da Informática associada à gestão de projetos de inovação por parte de empresas. Gostaria que pudesse trabalhar em algo inovador e minimamente benéfico para o futuro, que pusesse em prática não só os conhecimentos técnicos da área mas também as capacidades de empreendedorismo, trabalho em equipa e liderança!

 

MELHOR ALUNA DO ENSINO SECUNDÁRIO ENTROU EM MEDICINA

 

- Porquê a opção por Medicina e na Universidade de Lisboa?

- Escolhi Medicina porque sempre foi a área que mais me atraiu. Mesmo depois de analisar outras opções, não consegui imaginar-me numa profissão diferente. Sempre me interessei pela carreira, sempre achei fascinante tanto a parte do funcionamento do corpo humano, quanto o impacto que um médico acaba por ter na vida dos seus pacientes. Já a opção pela faculdade de Lisboa adveio de um desejo pessoal de experienciar o quotidiano cosmopolita. A cidade de Lisboa atrai-me pela sua dinâmica, pela sua acessibilidade e pelo vasto leque de oportunidades que disponibiliza.

- Qual é o segredo para se atingir uma média de entrada tão elevada?

- No meu caso, o segredo resumiu-se a uma única palavra: compromisso. Compromisso para com a escola e dirigentes, para com os meus professores, colegas e funcionários, compromisso para com a minha família, mas, sobretudo, compromisso para comigo própria e para com o meu grande objetivo final: o de ingressar numa área desejada por muitos mas apenas alcançável por aqueles que mais trabalham, que mais se esforçam e dedicam.

- Que expetativas tens em relação ao curso?

- Eu espero que o meu percurso académico reflita o fascínio e a paixão que sinto pela área. Espero tornar-me numa profissional competente, justa, apta e humilde.

- Que balanço é possível fazer-se nesta altura, após três meses de aulas?

- Após três meses de aulas, eu apercebi-me de que tenho um longo e árduo caminho a percorrer. Tive que aprender a ser uma pessoa mais autónoma, tive que adotar novas metodologias e adaptar-me a ritmos de vida e ensino completamente diferentes. Confesso que foi e continua a ser difícil. Penso que a faculdade põe à prova a nossa capacidade de persistência. É, portanto, fundamental não desanimar! Temos que aprender com as derrotas e apreciar as pequenas conquistas, vivendo um dia de cada vez.

- Profissionalmente, que área da Medicina mais te seduz, neste momento em que ainda estás no início?

- Penso que ainda não tenho resposta a esta questão. No entanto, neste momento, sei que escolhi a área certa. Estou num curso que me faz sentir feliz, realizada e que me faz acordar todas as manhãs com vontade de aprender.

Quero ainda aproveitar esta oportunidade para endereçar alguns agradecimentos e apelos:

Aos meus professores, que tanto admiro e agradeço por tudo o que me ensinaram;

Aos meus outrora colegas de turma, que eu tanto estimo e preservo, agradeço o companheirismo e a amizade;

A todos os funcionários da escola, que eu tanto prezo, agradeço todo o apoio e disponibilidade;

Aos presentes alunos apelo para que respeitem e valorizem o excelente trabalho de todos os professores e funcionários, que tanto se esforçam diariamente para os ajudar, para lhes proporcionar uma educação de qualidade, mesmo quando os recursos disponíveis não o permitem.